segunda-feira, 23 de abril de 2012

SILVEIRAS SP: O CASARÃO DO CAPITÃO MANOEL JOSÉ DA SILVEIRA


O que se sabe é que Silveiras quando não dava café dava heróis. Já em 1842, quando era freguesia e queria ganhar título de vila, veio a revolução liberal nascida em Sorocaba e sufocada pelo Duque de Caxias. A batalha final foi na entrada da cidade, onde hoje se ergue um cruzeiro que singularmente homenageia os dois lados: Caxias o legalista; e o tenente Anacleto ferreira Pinto, chefe de um punhado de liberais silveirenses.
A briga entre conservadores e liberais teve um outro episódio em Silveiras, ocorreu que um capitão, sabendo ser a freguesia reduto liberal, ousou assumir a chefia de polícia local.
Pra que! Os moradores engraxaram as armas e foram exigir a renuncia do militar, que respondeu a bala. O tiroteio durou até que a munição acabou do lado mais fraco: o capitão decidiu enfrentar o povo no peito. Desceu as escadas do sobrado onde morava, mas antes de sair à rua já levou um tiro e caiu. O ódio político levou aquela gente toda a arrastar o corpo para a rua, selvagemente, e ainda hoje você pode (podia)ver nas escadas as manchas de sangue. O sobrado agora é a casa paroquial. (era)
                                                                   
                                                                ****

                                        
Ao fundo o casarão do Cap. Silveira
    

Atual estado do casarão:


FOTO: HORA DE PRESERVAR

Hoje 22/04/2012 o que resta do casarão.
 Uns olham, e vêem um monte de entulho, outros, um monte  história .


FOTO: HORA DE PRESEVAR.

FOTO: HORA DE PRESERVAR

FOTO: HORA DE PRESERVAR

Um comentário: